?>
29 de junho de 2022 Relatórios

Baterias e o desafio do armazenamento de energia

Como as startups e inovações estão trazendo soluções e novas oportunidades no mercado de armazenamento de energia e eficiência energética

Em 2019, o estadunidense John Goodenough, o britânico-estadunidense Michael Stanley Whittingham e o japonês Akira Yoshino foram os vencedores do Prêmio Nobel de Química. O reconhecimento no século 21, no entanto, diz respeito a um feito de um passado mais remoto: o desenvolvimento das primeiras baterias de íons de lítio aconteceu na década de 1970. Utilizadas atualmente como componentes em diversos dispositivos eletrônicos, essas baterias carregam muito mais que uma fonte energética, afinal é sobre elas que, hoje, se depositam altas expectativas para o avanço no uso de energias renováveis no mundo inteiro.

Dentro desse contexto, o armazenamento de energia surge como um grande desafio global. Nos últimos anos, as discussões acerca das mudanças climáticas e eficiência energética ganharam enorme importância, e novos acordos e diretrizes têm sido estabelecidos em busca de um desenvolvimento sustentável dos países e da preservação do meio ambiente.

O Brasil, com grande potencial para geração de energia de fontes renováveis, pode cumprir um papel decisivo e fundamental nessa transformação, estabelecendo incentivos e criando oportunidades para soluções e consequente avanço desse mercado.

Em âmbito mundial, o principal catalisador do uso de baterias no armazenamento de energia tem sido o segmento de veículos elétricos, que vem crescendo em ritmo intenso nos últimos anos e, por consequência, acelerando as pesquisas e o desenvolvimento desses dispositivos. Como resultado de toda essa movimentação, observa-se também que o preço das baterias vem se tornando mais acessível na última década.

Com o ganho de maturidade de parte desses mercados, novos desafios se apresentam, relacionados principalmente à produção dos dispositivos para uso do mercado interno – e, eventualmente, externo – e à sua sustentabilidade.

A reciclagem e a reutilização desses materiais se tornaram etapas importantíssimas no ciclo de vida das baterias, estimulando novos estudos e pesquisas com o objetivo de otimizar e tornar mais eficiente a utilização destas.

Para analisar esse panorama, o OPENLIGA, plano de assinatura da Liga Ventures que ajuda a impulsionar a inovação por meio da apresentação de startups, networking, informações e posicionamento de mercado, convidou três especialistas para debaterem suas ideias em um evento online exclusivo.

Maria de Fatima N. C. Rosolem, Pesquisadora na Área de Baterias no CPqD;
Adalberto Felicio Maluf Filho, diretor da BYD do Brasil e presidente da Associação Brasileira do Veículo Elétrico e Milton Francisco dos Santos Junior, CEO da eiON. discutiram o avanço de projetos de armazenamento de energia no país, a importância do setor público na criação de incentivos e oportunidades, os principais gargalos para que o segmento se desenvolva, o papel da mobilidade elétrica e das startups no cenário atual e a importância de se criar aplicações de segunda vida para as baterias. Com certeza, um debate complexo e, consequentemente, muito rico para o desenvolvimento da tecnologia e dos mercados no Brasil.

Boa leitura!

bateriaseficiência energéticaenergiaESGInovaçãosustentabilidadeTecnologia

Insights populares

1. Startup Laura auxilia hospital a reduzir a taxa de mortalidade de pacientes

Downloads

Artigo (7 páginas)  

Tópicos

bateriaseficiência energéticaenergiaESGInovaçãosustentabilidadeTecnologia